Google+ Badge

quinta-feira, 29 de março de 2012


Professor Fernando

Professor Fernando
25/03/12  14h50m

A Bahia não cumpre Lei do Piso dos Professores

O Ministério da Educação (MEC) definiu em R$ 1.451 o valor do piso nacional do magistério para 2012, um aumento de 22,22% em relação a 2011. Conforme determina a lei que criou o piso, o reajuste foi calculado com base no crescimento do valor mínimo por aluno do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) no mesmo  período de 2011/2012, aprovado no orçamento do exercício. .
A Lei do Piso determina que nenhum professor pode receber menos do que o valor determinado por uma jornada de 40 horas semanais. Questionada na Justiça por governadores, a legislação foi confirmada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no ano passado.

Entes federados argumentam que não têm recursos para pagar o valor estipulado pela lei. O dispositivo prevê que a União complemente o pagamento nesses casos, mas, desde 2008, nenhum estado ou município recebeu os recursos porque, segundo o MEC, não conseguiu comprovar a falta de verbas e rendas  para esse fim que é o salário justo dos professores. .

Em 2011, o piso foi R$1.187 e em 2010, R$ 1.024. Em 2009, primeiro ano da vigência da lei, o piso era R$ 950. Alguns governos estaduais e municipais criticam o critério de reajuste e defendem que o valor deveria ser corrigido pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), hoje, IPCA como ocorre com outras carreiras públicas.

Na Câmara dos Deputados, tramita um projeto de lei que pretende alterar o parâmetro de correção do piso para a variação da inflação. A proposta não prosperou no Senado, mas na Câmara recebeu parecer positivo da Comissão de Finanças e Tributação. A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) prepara uma paralisação nacional dos professores para os dias 14,15 e 16 de março com o objetivo de cobrar o cumprimento da Lei do Piso, atualmente não cumprida.
Em 2011, o Congresso Nacional aprovou o orçamento do Piso para 2012. E, até neste instante, não houve qualquer pronunciamento por parte do Governo baiano quanto ao pagamento para os professores da rede estadual de ensino, junto a APLB.
Urgentemente, o Brasil tem que investir 10% do PIB na Educação para executar transformações sócio-econômicas na melhoria qualidade de vida do seu povo. Esses investimentos são Estratégicos a vida de nós, brasileiros e brasileiras.
Professor Fernando: Professor Licenciado da Academia da Polícia Militar da Bahia, Especialista em Política e Estratégia, Ex-coordenador do Curso de Política e Estratégia em Paulo Afonso, ex-professor da Uneb Campus VIII, Licenciado em História, Licenciado e Bacharel em Filosofia, Licenciando em Sociologia e Mestrando em Ecologia Humana pela Uneb-Bahia, campus VIII.


terça-feira, 13 de março de 2012


Educação

12/03/12  02h52m - Paulo Afonso - BA

Imagens da Aula Inaugural do Curso de Engenharia Elétrica no Ifba de Paulo Afonso

Redação/Francisco Nery Júnior 
redacao@ozildoalves.com.br/ASCOM-IFBA


O curso de Engenharia Elétrica já é uma realidade na nossa região. As aulas regulares terão início na próxima segunda-feira, dia 12 de março, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, Campus de Paulo Afonso, localizado no antigo Acampamento Chesf, na Rua Marcondes Ferraz.
 
Para a implantação do Ifba em Paulo Afonso, foi fundamental o apoio da Companhia Hidroelétrica do São Francisco, da Prefeitura Municipal de Paulo Afonso, do empresariado local, entidades representativas e da imprensa. O instituto funciona no prédio do antigo Colepa doado pela Chesf que também cedeu as instalações do Sal Torrado onde funcionará, em anexo, o Curso de Engenharia Elétrica após a devida reforma.

 
A Aula Inaugural aconteceu na sexta-feira, 09 de março de 2012, às 19h e foi ministrada pelo engenheiro eletricista Carlos Fernandes, Gerente Regional de Operação da Chesf, que discorreu sobre a demanda e a produção de energia elétrica no Brasil no espectro de 10 anos, de 2010 a 2020.
 
O Ifba preenche, a partir de agora, uma lacuna importante na nossa cidade e região. O curso de Engenharia Elétrica dá a oportunidade de os nossos alunos cursarem o curso superior em eletricidade em Paulo Afonso, no seu ambiente e perto das suas famílias. O complexo de produção da Chesf é um laboratório natural para estudos, pesquisas e experimentos em um curso de eletricidade. Por outro lado, alunos de outros estados fazem parte das turmas iniciais de 40 alunos cada (uma iniciando no primeiro semestre e outra no segundo semestre) invertendo o fluxo migratório no sentido capital/interior.

 
O curso é composto de 10 semestres. Alunos com formação superior em matemática ou outra área de ciências exatas poderão concluir o curso em seis semestres. O Corpo Docente do Ifba é composto de mestres e doutores na sua quase totalidade. O prof. Arleno José de Jesus, ele mesmo ex-aluno nos primórdios da educação tecnológica, tem curso de doutorado em Educação Profissional em Portugal e de mestrado em Cuba. Em um Brasil que cresce a cada ano, a esta altura sexta economia do mundo, o Curso de Engenharia Elétrica do Ifba é uma grande oportunidade para os filhos de Paulo Afonso e região.


  •  Postado pelo professor Fernando

domingo, 11 de março de 2012


Engenharia Elétrica: o sonho vira realidade no IFBA – Campus Paulo Afonso

Texto e fotos - Antônio Galdino
Antônio GaldinoAntônio GaldinoAula Magna do curso de Engenharia Elétrica realizada no IFBA - Paulo Afonso
Os que estavam no auditório do IFBA – Campus Paulo Afonso, na noite do dia 09 de março de 2012, não puderam separar a seriedade da Aula Magna do Curso de Engenharia Elétrica da emoção.
As aulas começam, efetivamente, no dia 12 de março mas, da direção do Instituto aos professores, convidados e alunos, as palavras, os gestos, até o silêncio diziam da alegria de se ver nascer não apenas mais um curso superior em Paulo Afonso mas um curso do mais alto nível técnico com a expectativa de ser um dos melhores do Brasil, tendo em vista que se instala em um campus cercado de usinas hidrelétricas dos mais diferentes modelos e idades, num raio de 80 quilômetros.
São 08 usinas do complexo hidrelétrico da Chesf que tem, desde a pequena Usina Piloto, de apenas 2 megawatts, desativada mas pronta para se transformar no grande laboratório de que o Curso de Engenharia vai precisar para formar, com a melhor qualidade, os seus alunos, à Usina Hidrelétrica de Xingó, moderníssima com seus seis geradores de 500 MW cada. São as Usinas Paulo Afonso I, II, III e IV em Paulo Afonso, a Apolônio Sales, já em território alagoano e a Usina Luiz Gonzaga, em Petrolândia, construídas entre os anos de 1950 a 1995, com equipamentos e geradores, suecos, alemães e de outros países que se tornam um excepcional laboratório como não há igual, nesse porte e com estas características em nenhum lugar do mundo.
Há ainda, do outro lado do rio, no lado alagoano, a Usina Hidrelétrica do Angiquinho, construída pelo visionário Delmiro Gouveia há cem anos, em 1913.
“O complexo de Paulo Afonso produz mais de 80 % de toda a energia elétrica gerada e distribuída pela Chesf e mais de 10% de toda a energia gerada no Brasil”, como disse o engenheiro Carlos Fernando, ex-gerente de Operação de Paulo Afonso, um dos entusiastas e lutadores para a vinda do curso de Engenharia Elétrica para o IFBA - Paulo Afonso, em sua aula inaugural do Curso de Engenharia Elétrica neste Campus, nesta data histórica - 9 de março de 2012.
Antônio GaldinoAntônio GaldinoEngenheiro Carlos Fernando, da Chesf, proferiu a Aula Magna
Convidado do IFBA para dar a Aula Magna deste curso, Carlos Fernando, trouxe para os alunos, visivelmente emocionados, informações preciosas sobre “o campo de trabalho atual e futuro dos engenheiros, e os muitos desafios que terão que enfrentar e vencer para manter o crescimento da humanidade e o equilíbrio entre as ações do homem e a natureza que o cerca”.
Este curso nasceu, como lembrou o professor José Fernando, um dos pioneiros na luta para a sua para Paulo Afonso, “de um sonho que não foi sonhado sozinho, não foi uma luta de um político isoladamente mas foi um sonho compartilhado, vivido intensamente por um grupo de pioneiros entre os quais eu também estava.”
Antônio GaldinoAntônio GaldinoProfessor José Fernando falou do difícil começo e do sonho realizado
E, prosseguiu o professor na sua fala de abertura da solenidade: “Esta Aula Magna de fato mexe com a nossa emoção. Lembro da primeira reunião realizada na UNEB. Ali estava eu, como professor da Uneb, ao lado do Professor Juracy Marques(diretor do Campus VIII-UNEB), do Professor Galdino(ASCOM/PMPA e jornal Folha Sertaneja), do prefeito Anilton Bastos, da Secretária de Educação Selma, da Professora Cleonice (Profa. UNEB), Maria Helena (Uneb), Flávio Henrique(Procurador da Prefeitura), Rubem Brasil (aluno da Uneb) e do Engenheiro Fernando Irapuan (do CREA), para discutir essa possibilidade de Paulo Afonso ter um Curso de Engenharia Elétrica, inicialmente previsto para a UNEB”.
O professor disse ainda: “Depois, em outras reuniões, e aí também com a presença do Professor Dorival, atual diretor da UNEB, e a oportuna chegada do IFBA, avaliou-se que este curso seria bem mais apropriado no IF, tendo em vista a sua trajetória na realização de cursos técnicos.”
E, concluiu, “Este, portanto é um momento digno da maior celebração, porque aqui se realiza o sonho, sonhado por muitos, grata realidade que traz esse sorriso feliz ao rosto de todos nós e desses alunos pioneiros”.
Antônio GaldinoAntônio GaldinoVice-prefeito Jugurta Nepomuceno ressaltou "a importância deste curso para Paulo Afonso e região"
A tônica da emoção e da realização de um grande sonho conduziu toda a cerimônia. Foi o que falou a professora Marta, em nome da Secretária Selma, que estava em outro evento na zona rural do município. Também essa foi a mensagem do vereador Aroldo Ferreira, vice-presidente da Câmara Municipal de Paulo Afonso, que se apresentou como “representante do presidente Regivaldo Coriolano e do Deputado Mário Negromonte”.
O vice-prefeito, Jugurta Nepomuceno justificou a ausência do Prefeito Anilton “um dos grandes incentivadores e apoiadores do IFBA e para a criação deste curso”, que estava em Salvador “em uma viagem não prevista mas necessária” e disse ainda da “importância deste Curso de Engenharia Elétrica para o município de Paulo Afonso e para toda a região”.
Antônio GaldinoAntônio GaldinoMarileide Brasil, Assessora da APA/Chesf, disse do compromisso da Chesf com este curso e com o social
Marileide Brasil, Assessora da Administração Regional da Chesf, fez um pronunciamento em que historiou a caminhada, desde os primeiros passos de diretores do IFBA em Paulo Afonso, as audiências públicas, as negociações com a Chesf para a cessão das instalações do antigo Colepa para o IFBA, os apoios que a Chesf sempre deu para que “o sonho se tornasse realidade” e falou “da disposição da Hidrelétrica do São Francisco em continuar apoiando a caminhada, já exitosa, deste Instituto Federal no Estado da Bahia”.
Foi apresentada uma mensagem do professor Mário César, de Paulo Afonso, que estava viajando, “é com imenso orgulho que me coloco à disposição do Instituto Federal da Bahia – Campus de Paulo Afonso, por acreditar no sucesso do Curso Superior de Engenharia Elétrica. Para mim é um prazer imensurável poder contribuir para a concretização desse sonho porque, além de professor, sou filho desta terra. Minha intenção é permanecer, contribuir, somar”.
A diretora de ensino do IFBA, Dulcimar Pereira Campos, passou para os alunos informações sobre o funcionamento do curso e algumas orientações preliminares, dando as boas vindas com a exibição de um vídeo preparado especialmente para essa ocasião com os nomes de todos os alunos pioneiros deste curso.
Antônio GaldinoAntônio GaldinoProfessor Arleno de Jesus, agradeceu a todos, com destaque especial à Chesf, e ao Prefeito Anilton Bastos
O professor Arleno de Jesus, ao apresentar nominalmente todos os professores que vão atuar neste curso, fez uma importante ressalva: “grande parte dos nossos professores são mestres, doutorandos e doutores, um nível acadêmico difícil de encontrar em outras unidades de ensino desse porte. Já tive a alegria de instalar outro curso de engenharia no IFBA em outra região mas ali não se tinha esse nível acadêmico que temos aqui”, disse Arleno.
Também ressaltou o recebimento de profissionais da Chesf para apoiar as atividades do IFBA, “que chega ao número de 17 profissionais, como o Professor Francisco Nery que é o nosso Assessor de Comunicação”.
O diretor do IFBA de Paulo Afonso também destacou “o excepcional apoio que o IF tem recebido da Chesf, que tem em Marileide Brasil, a sua madrinha e da Prefeitura, na gestão do Prefeito Anilton. Têm sido eles, a Chesf e a Prefeitura, parceiros desde a primeira hora e deles, como de outras instituições da cidade, vamos precisar muito, não só para o curso de Engenharia mas para os outros que já estão funcionando e outros que virão para Paulo Afonso”.
O diretor do IFBA de Paulo Afonso também ressaltou o empenho do COMDEPA – Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico de Paulo Afonso, representado na solenidade pelos empresários Francisco de Assis, José Rudival de Menezes, Edinael Nunes e João Bosco que “buscam uma solução para a construção de galpão para acomodar todos os equipamentos de uma usina de biodiesel no valor de quase 1 milhão de reais, recebida do governo da Bahia. Esses equipamentos foram visitados por membros deste Conselho e pela imprensa local e estão nas instalações, também cedidas pela Chesf para funcionamento de cursos e laboratórios, no Sal Torrado”, disse Arleno de Jesus.
Antônio GaldinoAntônio GaldinoProfessores e alunos na expectativa do início das aulas, dia 12 de março
E prosseguiu o professor Arleno: “Esse Campus do IFBA tem 11 salas de aulas e já é pouco. O curso de Engenharia vai funcionar, provisoriamente, neste auditório e já estamos pedindo mais um apoio da Chesf que é a cessão de salas de aulas do CFPPA, aqui ao lado, para, à noite, ali funcionarem outros cursos”  E, acrescentou Arleno: “Também pedimos ao Engº Flávio Motta, que substituiu o Engº Carlos Fernando na Gerência de Operação, que continue com o apoio ao nosso Instituto”.
O Campus do IFBA em Paulo Afonso possui, além das salas de aulas, cinco laboratórios, uma biblioteca modelo e instalações administrativas onde funcionou o antigo GPA/COLEPA, mantidos pela Chesf e considerados referência pela sua qualidade de ensino. Ali, foram investidos quase 1,5 milhão de reais para ser o Campus do IFBA em Paulo Afonso. “O IFBA pretende honrar a história do Colepa”, disse Arleno.
“O curso de Engenharia Elétrica recebe 80 alunos em duas turmas de 40, uma nesse primeiro semestre e a outra no segundo semestre. Destes, 50% vieram do vestibular e os outros 50%, do ENEM. Nestes estão alunos vindos de Salvador, Recife, Aracaju, ou seja, Paulo Afonso, que sempre teve que mandar seus filhos para estudar fora, agora inverte a situação e recebe alunos de outros lugares para esta cidade”, concluiu o empolgado e emocionado professor Arleno de Jesus.
O cerimonial da Aula Magna foi conduzido pela Assistente Social, Railda Freitas, chefe do Gabinete do diretor do Campus de Paulo Afonso.
(Veja mais, em outra matéria,(em LOCAL) qual o colegiado e quem são alunos pioneiros deste Curso de Engenharia Elétrica do IFBA-Paulo Afonso)

sábado, 10 de março de 2012

Supertramp 1982 - (IT`S Rainung Again) - HOMANAGEM


Aula inaugural do Curso de Engenharia Elétrica do IFBA

O curso começa com 80 vagas, 40 no primeiro semestre e 40 no segundo semestre.O início das aulas do curso de Engenharia Elétrica será na próxima segunda-feira, dia 12.03.
Na noite de sexta-feira, 9, foi realizada a aula inaugural do Curso de Engenharia Elétrica do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA). O evento foi no Auditório do Campus e contou com a presença do diretor do campus, Arleno Jesus,do vice prefeito Jugurta Nepomuceno, que substitui o prefeito Anilton Bastos que está ausente da cidade por motivos particulares, os vereador Aroldo e Petrônio Nogueira, convidados, alunos, professores, empresários e representantes da Chesf.O início das aulas do curso de Engenharia Elétrica será na próxima segunda-feira, dia 12.03.
Todos os oradores da noite foram unânimes em dizer que este é um sonho que está se tornando realidade para Paulo Afonso e Região, pois os jovens pauloafonsinos não terão que se deslocar para os grandes centros para estudar Engenharia Elétrica, tendo em Paulo Afonso o curso no IFBA. O diretor do campus, Arleno Jesus, foi incisivo em agradecer ao prefeito Anilton Bastos e a Chesf, pelo apoio e icentivo.
Não agradeceu
Arleno fez diversos agradecimentos aos presentes e aos ausentes, mas esqueceu de agradecer o apoio que o Ifba tem recebido da imprensa local. Foi uma falha que deveria ter sido evitada, afinal o assessor de comunicação do Ifba, que manda várias matérias para a imprensa, tava presente.
Não agradeceu I
Arleno não agradeceu e nem sequer falou o nome dos Negromontes durante seus agradecimentos, ao contrario do nome de Anilton, que foi repetido várias vezes e também o nome do vereador da situação Petrônio Nogueira. Arleno também não agradeceu a câmara de vereadores. O chato da história é que o vereador da oposição Aroldo do Hospital ao ser anunciado foi citado que estava ali representando o deputado federal Mario Negromonte. Pra que?
Engenheiro eletricista
O curso atende ao perfil da própria região que se tornou destaque no setor industrial baiano pelo gigantesco parque hidroelétrico em todo o seu território e nas cidades circunvizinhas. O engenheiro eletricista pode atuar no planejamento e na operação dos sistemas elétricos, no projeto de equipamentos e instalações elétricas industriais, comerciais e residenciais.
Cursos técnicos
O IFBA campus Paulo Afonso também é destaque pela oferta de 270 vagas em cursos técnicos no Processo Seletivo 2012, nas modalidades subsequente e integrada. Além de disponibilizar o curso técnico em biocombustíveis – que atua numa área bastante pesquisada atualmente -, também oferece os cursos técnicos em informática e eletromecânica, sempre requisitados em empresas de serviços e indústrias.
O técnico em eletromecânica, por exemplo, pode desenvolver atividades de coordenação e assistência técnica em planejamento, avaliação, controle, instalação, montagem e manutenção de sistemas eletromecânicos, além de realizar atividades de programação e orientação na execução de peças, componentes e máquinas eletromecânicas.
Já o técnico em informática pode operar e programar sistemas microprocessados, instalar e diagnosticar redes, fazer administração e manutenção de hardware e software, dar suporte técnico a usuários de computadores, utilizar ambientes de desenvolvimento de sistemas em ambientes web e banco de dados, e participar na construção de sistemas de apoio gerencial e produtivo.
Campus do IFBA
O novo campus do IFBA conta com onze salas de aula, cinco laboratórios, um pavilhão administrativo, um auditório para 100 pessoas, uma cantina, um ginásio com uma quadra coberta, uma quadra descoberta e um campo de futebol com pista de atletismo, além de estacionamento para 40 carros. E um outro espaço doado pela Chesf para construção de laboratório, usina de biodiesel e instalação dos cursos superiores, que será o Campus Paulo Afonso II.
O IFBA Campus Paulo Afonso recebeu o prédio através da doação da Chesf (Companhia Hidro Elétrica do São Francisco) e investiu de R$ 1.319.780,00.
POSTADO PELO PROFESSOR FERNANDO

quinta-feira, 8 de março de 2012

                                                                                  Astronomia


Tempestade solar que chega nesta quinta pode ameaçar rede elétrica

Segundo astrônomos, fenômeno é o maior a atingir a Terra nos últimos cinco anos e também pode prejudicar sistemas de GPS

iG São Paulo 07/03/2012 18:26 - Atualizada às 19:16
Texto:
Foto: NasaAmpliar
Imagem da Nasa mostra a erupção solar mais forte dos últimos cinco anos
A maior erupção solar dos últimos cinco anos está chegando à Terra, e deve envolver o planeta em uma onda de partículas que pode causar problemas às redes elétricas, sistemas de GPS e voos de avião.
Ela começou no Sol na terça-feira (6) à noite, e seus efeitos vão chegar entre as 23h de quarta-feira e 3h de quinta (horário de Brasília), de acordo com técnicos do Centro de Meteorologia Espacial, nos Estados Unidos. Eles afirmam que a explosão está aumentando de tamanho conforme ela se afasta do corpo celeste.
“Vai nos atingir bem no nariz”, disse Joe Kunches, cientista da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos Estados Unidos (na sigla em inglês, NOAA). Ela deve durar até sexta-feira (9) de manhã, mas a região solar de onde a tempestade veio ainda pode mandar novas cargas explosivas. Segundo Kunches, outro grupo de manchas solares ativas está pronto para explodir na nossa direção logo após esta tempestade.
Mas por enquanto, os cientistas estão esperando ver o que acontecerá na quinta-feira, quando as partículas elétricas chegarão à Terra numa velocidade de 6,4 milhões de quilômetros por hora.

Leia também:
Tempestade solar atinge a Terra "de raspão"
Cientistas criam métodos de detecção de atividade solar
Calmaria no Sol: manchas solares devem desaparecer em 2020
Tempestades solares podem causar catástrofes mundiais
Imagens captadas pela Nasa mostram rosto no Sol

 
A tempestade chega logo após uma erupção mais fraca, que aconteceu no domingo, e chegará um pouco mais cedo do que o previsto.
Dependendo de sua força, as emissões magnéticas da tempestade têm o potencial de afetar a rede elétrica, especialmente de países perto dos polos. Em 1989, uma erupção mais forte derrubou o sistema elétrico de Quebec, no Canadá, deixando seis milhões de pessoas sem luz. As empresas de energia já foram alertadas.
Tempestades solares também podem alterar a precisão dos GPS (sigla em inglês para Sistemas de Posicionamento Global), que podem prejudicar perfurações de precisão (como em plataformas de petróleo), por exemplo. Também podem acontecer interrupções no serviço. 
Também podem acontecer problemas em sistemas de satélites e comunicações, e aumentar a radiação nos polos sul e norte, o que causaria alterações de rotas aéreas. Algumas companhias aéreas já se adiantaram e reprogramaram seus voos, de acordo com Kunches.
Há um lado bom: no hemisfério norte, há chances de auroras boreais mais fortes em latitudes mais baixas, como na região dos Grandes Lagos (Estados Unidos), bem como na fronteira do país com o Canadá. 

Veja: 
Fotógrafo retrata intensificação da aurora boreal

Nasa divulga imagens da Aurora Boreal vista do espaço
Postado pelo professor Fernando