Google+ Badge

domingo, 11 de março de 2012


Engenharia Elétrica: o sonho vira realidade no IFBA – Campus Paulo Afonso

Texto e fotos - Antônio Galdino
Antônio GaldinoAntônio GaldinoAula Magna do curso de Engenharia Elétrica realizada no IFBA - Paulo Afonso
Os que estavam no auditório do IFBA – Campus Paulo Afonso, na noite do dia 09 de março de 2012, não puderam separar a seriedade da Aula Magna do Curso de Engenharia Elétrica da emoção.
As aulas começam, efetivamente, no dia 12 de março mas, da direção do Instituto aos professores, convidados e alunos, as palavras, os gestos, até o silêncio diziam da alegria de se ver nascer não apenas mais um curso superior em Paulo Afonso mas um curso do mais alto nível técnico com a expectativa de ser um dos melhores do Brasil, tendo em vista que se instala em um campus cercado de usinas hidrelétricas dos mais diferentes modelos e idades, num raio de 80 quilômetros.
São 08 usinas do complexo hidrelétrico da Chesf que tem, desde a pequena Usina Piloto, de apenas 2 megawatts, desativada mas pronta para se transformar no grande laboratório de que o Curso de Engenharia vai precisar para formar, com a melhor qualidade, os seus alunos, à Usina Hidrelétrica de Xingó, moderníssima com seus seis geradores de 500 MW cada. São as Usinas Paulo Afonso I, II, III e IV em Paulo Afonso, a Apolônio Sales, já em território alagoano e a Usina Luiz Gonzaga, em Petrolândia, construídas entre os anos de 1950 a 1995, com equipamentos e geradores, suecos, alemães e de outros países que se tornam um excepcional laboratório como não há igual, nesse porte e com estas características em nenhum lugar do mundo.
Há ainda, do outro lado do rio, no lado alagoano, a Usina Hidrelétrica do Angiquinho, construída pelo visionário Delmiro Gouveia há cem anos, em 1913.
“O complexo de Paulo Afonso produz mais de 80 % de toda a energia elétrica gerada e distribuída pela Chesf e mais de 10% de toda a energia gerada no Brasil”, como disse o engenheiro Carlos Fernando, ex-gerente de Operação de Paulo Afonso, um dos entusiastas e lutadores para a vinda do curso de Engenharia Elétrica para o IFBA - Paulo Afonso, em sua aula inaugural do Curso de Engenharia Elétrica neste Campus, nesta data histórica - 9 de março de 2012.
Antônio GaldinoAntônio GaldinoEngenheiro Carlos Fernando, da Chesf, proferiu a Aula Magna
Convidado do IFBA para dar a Aula Magna deste curso, Carlos Fernando, trouxe para os alunos, visivelmente emocionados, informações preciosas sobre “o campo de trabalho atual e futuro dos engenheiros, e os muitos desafios que terão que enfrentar e vencer para manter o crescimento da humanidade e o equilíbrio entre as ações do homem e a natureza que o cerca”.
Este curso nasceu, como lembrou o professor José Fernando, um dos pioneiros na luta para a sua para Paulo Afonso, “de um sonho que não foi sonhado sozinho, não foi uma luta de um político isoladamente mas foi um sonho compartilhado, vivido intensamente por um grupo de pioneiros entre os quais eu também estava.”
Antônio GaldinoAntônio GaldinoProfessor José Fernando falou do difícil começo e do sonho realizado
E, prosseguiu o professor na sua fala de abertura da solenidade: “Esta Aula Magna de fato mexe com a nossa emoção. Lembro da primeira reunião realizada na UNEB. Ali estava eu, como professor da Uneb, ao lado do Professor Juracy Marques(diretor do Campus VIII-UNEB), do Professor Galdino(ASCOM/PMPA e jornal Folha Sertaneja), do prefeito Anilton Bastos, da Secretária de Educação Selma, da Professora Cleonice (Profa. UNEB), Maria Helena (Uneb), Flávio Henrique(Procurador da Prefeitura), Rubem Brasil (aluno da Uneb) e do Engenheiro Fernando Irapuan (do CREA), para discutir essa possibilidade de Paulo Afonso ter um Curso de Engenharia Elétrica, inicialmente previsto para a UNEB”.
O professor disse ainda: “Depois, em outras reuniões, e aí também com a presença do Professor Dorival, atual diretor da UNEB, e a oportuna chegada do IFBA, avaliou-se que este curso seria bem mais apropriado no IF, tendo em vista a sua trajetória na realização de cursos técnicos.”
E, concluiu, “Este, portanto é um momento digno da maior celebração, porque aqui se realiza o sonho, sonhado por muitos, grata realidade que traz esse sorriso feliz ao rosto de todos nós e desses alunos pioneiros”.
Antônio GaldinoAntônio GaldinoVice-prefeito Jugurta Nepomuceno ressaltou "a importância deste curso para Paulo Afonso e região"
A tônica da emoção e da realização de um grande sonho conduziu toda a cerimônia. Foi o que falou a professora Marta, em nome da Secretária Selma, que estava em outro evento na zona rural do município. Também essa foi a mensagem do vereador Aroldo Ferreira, vice-presidente da Câmara Municipal de Paulo Afonso, que se apresentou como “representante do presidente Regivaldo Coriolano e do Deputado Mário Negromonte”.
O vice-prefeito, Jugurta Nepomuceno justificou a ausência do Prefeito Anilton “um dos grandes incentivadores e apoiadores do IFBA e para a criação deste curso”, que estava em Salvador “em uma viagem não prevista mas necessária” e disse ainda da “importância deste Curso de Engenharia Elétrica para o município de Paulo Afonso e para toda a região”.
Antônio GaldinoAntônio GaldinoMarileide Brasil, Assessora da APA/Chesf, disse do compromisso da Chesf com este curso e com o social
Marileide Brasil, Assessora da Administração Regional da Chesf, fez um pronunciamento em que historiou a caminhada, desde os primeiros passos de diretores do IFBA em Paulo Afonso, as audiências públicas, as negociações com a Chesf para a cessão das instalações do antigo Colepa para o IFBA, os apoios que a Chesf sempre deu para que “o sonho se tornasse realidade” e falou “da disposição da Hidrelétrica do São Francisco em continuar apoiando a caminhada, já exitosa, deste Instituto Federal no Estado da Bahia”.
Foi apresentada uma mensagem do professor Mário César, de Paulo Afonso, que estava viajando, “é com imenso orgulho que me coloco à disposição do Instituto Federal da Bahia – Campus de Paulo Afonso, por acreditar no sucesso do Curso Superior de Engenharia Elétrica. Para mim é um prazer imensurável poder contribuir para a concretização desse sonho porque, além de professor, sou filho desta terra. Minha intenção é permanecer, contribuir, somar”.
A diretora de ensino do IFBA, Dulcimar Pereira Campos, passou para os alunos informações sobre o funcionamento do curso e algumas orientações preliminares, dando as boas vindas com a exibição de um vídeo preparado especialmente para essa ocasião com os nomes de todos os alunos pioneiros deste curso.
Antônio GaldinoAntônio GaldinoProfessor Arleno de Jesus, agradeceu a todos, com destaque especial à Chesf, e ao Prefeito Anilton Bastos
O professor Arleno de Jesus, ao apresentar nominalmente todos os professores que vão atuar neste curso, fez uma importante ressalva: “grande parte dos nossos professores são mestres, doutorandos e doutores, um nível acadêmico difícil de encontrar em outras unidades de ensino desse porte. Já tive a alegria de instalar outro curso de engenharia no IFBA em outra região mas ali não se tinha esse nível acadêmico que temos aqui”, disse Arleno.
Também ressaltou o recebimento de profissionais da Chesf para apoiar as atividades do IFBA, “que chega ao número de 17 profissionais, como o Professor Francisco Nery que é o nosso Assessor de Comunicação”.
O diretor do IFBA de Paulo Afonso também destacou “o excepcional apoio que o IF tem recebido da Chesf, que tem em Marileide Brasil, a sua madrinha e da Prefeitura, na gestão do Prefeito Anilton. Têm sido eles, a Chesf e a Prefeitura, parceiros desde a primeira hora e deles, como de outras instituições da cidade, vamos precisar muito, não só para o curso de Engenharia mas para os outros que já estão funcionando e outros que virão para Paulo Afonso”.
O diretor do IFBA de Paulo Afonso também ressaltou o empenho do COMDEPA – Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico de Paulo Afonso, representado na solenidade pelos empresários Francisco de Assis, José Rudival de Menezes, Edinael Nunes e João Bosco que “buscam uma solução para a construção de galpão para acomodar todos os equipamentos de uma usina de biodiesel no valor de quase 1 milhão de reais, recebida do governo da Bahia. Esses equipamentos foram visitados por membros deste Conselho e pela imprensa local e estão nas instalações, também cedidas pela Chesf para funcionamento de cursos e laboratórios, no Sal Torrado”, disse Arleno de Jesus.
Antônio GaldinoAntônio GaldinoProfessores e alunos na expectativa do início das aulas, dia 12 de março
E prosseguiu o professor Arleno: “Esse Campus do IFBA tem 11 salas de aulas e já é pouco. O curso de Engenharia vai funcionar, provisoriamente, neste auditório e já estamos pedindo mais um apoio da Chesf que é a cessão de salas de aulas do CFPPA, aqui ao lado, para, à noite, ali funcionarem outros cursos”  E, acrescentou Arleno: “Também pedimos ao Engº Flávio Motta, que substituiu o Engº Carlos Fernando na Gerência de Operação, que continue com o apoio ao nosso Instituto”.
O Campus do IFBA em Paulo Afonso possui, além das salas de aulas, cinco laboratórios, uma biblioteca modelo e instalações administrativas onde funcionou o antigo GPA/COLEPA, mantidos pela Chesf e considerados referência pela sua qualidade de ensino. Ali, foram investidos quase 1,5 milhão de reais para ser o Campus do IFBA em Paulo Afonso. “O IFBA pretende honrar a história do Colepa”, disse Arleno.
“O curso de Engenharia Elétrica recebe 80 alunos em duas turmas de 40, uma nesse primeiro semestre e a outra no segundo semestre. Destes, 50% vieram do vestibular e os outros 50%, do ENEM. Nestes estão alunos vindos de Salvador, Recife, Aracaju, ou seja, Paulo Afonso, que sempre teve que mandar seus filhos para estudar fora, agora inverte a situação e recebe alunos de outros lugares para esta cidade”, concluiu o empolgado e emocionado professor Arleno de Jesus.
O cerimonial da Aula Magna foi conduzido pela Assistente Social, Railda Freitas, chefe do Gabinete do diretor do Campus de Paulo Afonso.
(Veja mais, em outra matéria,(em LOCAL) qual o colegiado e quem são alunos pioneiros deste Curso de Engenharia Elétrica do IFBA-Paulo Afonso)