Google+ Badge

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

III SEMINÁRIO ESTADUAL DE TOLERÂNCIA RELIGIOSA - UNEB CAMPUS VIII - PAULO AFONSO-BAHIA


O III SEMINÁRIO ESTADUAL DE TOLERÂNCIA RELIGIOSA DA BAHIA, ACONTECEU NO CAMPUS VIII/UNEB DE PAULO AFONSO E CONTOU COM A PRESENÇA DA SOCIEDADE CIVIL E ACADÊMICA DE NOSSO MUNICÍPIO.
O EVENTO TRATOU DA QUESTÃO DO MONOTEÍSMO CRISTÃO, DENTRO DA VISÃO FILÓSOFICA CATÓLICA E TEVE COMO PALESTRANTE DOM GUIDO ZENDRON, BISPO DE PAULO AFONSO-BA.
A COORDENAÇÃO DO EVENTO FICOU A CARGO DOS PROFESSORE DORIVAL PEREIRA, JOSÉ FERNANDO E SANDRO GOMES.












sábado, 27 de agosto de 2011

Ser ou não ser Judeu?










Na carteira de identidade do historiador israelense Shlomo Sand, no lugar reservado à nacionalidade está escrito que ele é judeu.

Sand, 64, solicitou ao governo que seja identificado de outro modo, como israelense, porque acredita que não existe nem um povo nem uma nação judeus.

Seus motivos estão expostos em "A Invenção do Povo Judeu". Best-seller em Israel, traduzido para 21 idiomas e incensado pelo historiador Eric Hobsbawm, o livro chega agora ao Brasil (Benvirá).

O autor defende que não há uma origem única entre os judeus espalhados pelo mundo. A versão de que um povo hebreu foi expulso da Palestina há 2.000 anos e que os judeus de hoje são seus descendentes é, segundo Sand, um mito criado por historiadores no século 19 e desde então difundido pelo sionismo.

"Por que o sionismo define o judaísmo como um povo, uma nação, e não como uma religião? Acho que insistem em ser um povo para terem o direito sobre a terra. Povos têm direitos sobre terra, religiões não", diz à Folha, por telefone, de Paris.

Olivia Grabowski-West/Divulgação

O historiador israelense Shlomo Sand, autor de "A Invenção do Povo Judeu", lançado no Brasil pelo selo Benvirá

"Na Idade Média a palavra povo se aplicava a religiões: o povo cristão, o povo de Deus. Hoje, aplicamos o termo a grupos humanos que têm uma cultura secular -língua, comida, música etc. Dizemos povo brasileiro, povo argentino, mas não povo cristão, povo muçulmano. Por que, então, povo judeu?"

Valendo-se de fontes e documentos históricos, a tese de Sand, ele mesmo admite no livro, não é em si nova (cita predecessores como Boaz Evron e Uri Ram). "Sintetizei, combinei evidências e testamentos que outros não fizeram, pus de outro modo."

Ele compara: até meados do século 20, "a maioria dos franceses achava que era descendente direto dos gauleses, os alemães dos teutões e os italianos, do império de Júlio César". "São todos mitos", afirma, "que ajudaram a criar nações no século 19".

Neste século 21, sustenta, não há mais lugar para isso.

"Não só o Brasil é uma grande mistura. A França, a Itália, a Inglaterra são. Somos todos misturados. Infelizmente há muitos judeus que se acham descendentes dos hebreus. Não me sinto assim. Gosto de ser uma mistura."

Filho de judeus, nascido num campo de refugiados na Áustria, o autor lutou do lado israelense contra os árabes na Guerra dos Seis Dias, em 67, quando o país ocupou Cisjordânia e faixa de Gaza.

Em seguida virou militante de extrema esquerda e passou a defender um Estado palestino junto ao de Israel.

Professor na Universidade de Tel Aviv e na França, onde passa parte do ano, o historiador avalia que as hostilidades entre israelenses e palestinos, reavivadas nas últimas semanas, continuarão por tempo indeterminado.

"Enquanto o Estado palestino não for reconhecido nas fronteiras de 67, acho que a violência não vai parar."

A INVENÇÃO DO POVO JUDEU
AUTOR Shlomo Sand
EDITORA Benvirá
TRADUÇÃO Eveline Bouteiller
QUANTO R$ 54,90 (576 págs.)

sábado, 20 de agosto de 2011

Wagner em Paulo Afonso








O governador Jaques Wagner visitou nesta sexta-feira (19) o município de Paulo Afonso e participou de cerimônia com 25 prefeitos de municípios da região para assinatura de adesão ao programa estadual ‘Todos pela Escola’.
A cerimônia ocorreu no Centro Cultural Lindinalva Cabral e contou com a presença do prefeito de Paulo Afonso, Anilton Bastos e o vice prefeito Jugurta Nepomuceno, o presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo, dos senadores Walter Pinheiro e Lídice da Mata, o vice governador Otto Alencar, o Secretário da Educação, Osvaldo Barreto, deputados, vereadores, secretários, prefeitos e convidados.
O programa ‘Todos pela Escola’ tem como meta assegurar que todas as crianças de escolas públicas baianas sejam alfabetizadas até os 8 anos de idade.
De acordo com o secretário da Educação, Osvaldo Barreto, entre as atribuições do governo estadual estão a produção e distribuição dos livros e materiais pedagógicos para professores e estudantes da alfabetização de todas as escolas públicas, além da formação dos professores.
No total, 217 municípios já aderiram ao programa. Serão contempladas 7.244 escolas das redes municipais de ensino, com 10.651 professores alfabetizadores e 277 professores formadores, beneficiando 191.718 estudantes.


quarta-feira, 17 de agosto de 2011

DIGA NÃO A CORRUPÇÃO!









Oposição lança campanha por CPI da Corrupção na internet
A estratégia da oposição é pressionar deputados e senadores, através da opinião pública, a furarem o bloqueio dos aliados do governo e buscar ainda apoio de entidades civis já organizadas de combate à corrupção, como o Movimento da Ficha Limpa.

Da Redação PANotícias
redacao@pauloafonsonoticias.com.br

Crédito: Divulgação


O Democratas e a oposição lançaram terça-feira (16) uma campanha para pressionar os parlamentares a assinarem o requerimento de criação da CPI da Corrupção, com o apoio da sociedade. A ideia é convidar os internautas que são a favor de uma investigação tanto na Câmara quanto no Senado a incluir um adesivo em sua foto do perfil do site de relacionamentos. A estratégia da oposição é pressionar deputados e senadores, através da opinião pública, a furarem o bloqueio dos aliados do governo e buscar ainda apoio de entidades civis já organizadas de combate à corrupção, como o Movimento da Ficha Limpa.
A campanha conta até com um site - http://www.cpidacorrupcao.blogspot.com -, onde é possível acompanhar a relação dos deputados que já assinaram o requerimento. Clique aqui para colar o adesivo em sua foto nas redes sociais. "Vamos divulgar, inclusive, os nomes dos deputados que não assinarem o requerimento em apoio à CPI da Corrupção. Com o apoio da sociedade, podemos vencer essa batalha, pois o governo fará de tudo para impedir a instalação da comissão", afirmou o líder do Democratas, deputado ACM Neto.
Com informações:Alexandre Reis

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Bob Dylan - Blowin in the Wind (Legendado)

Bob Dylan - Knockin' On Heaven's Door

INSTITUTO LULA








Lula discute com aliados criação de instituto com seu nome
Vagner Magalhães
Tamanho do Texto:+A-AImprimirPublicidadeO ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reuniu, na tarde desta segunda-feira, em São Paulo, ex-integrantes do seu governo, políticos e o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloizio Mercadante, para discutir a criação do Instituto Lula, que deve substituir o Instituto da Cidadania, criado após a campanha presidencial em que Lula acabou derrotado por Fernando Collor de Melo, em 1989.

O instituto ficará responsável pela criação de um memorial sobre o período em que Lula foi presidente (2003-2010) e a elaboração de políticas para a África e a América Latina. "A ideia é replicar as políticas que deram certo no Brasil, como as relativas ao combate à pobreza e à geração de empregos. Experiências na área da bioenergia e na área da educação, como o Programa Universidade Para Todos (Prouni) também serão levados em conta", disse o ex-ministro do Turismo, Walfrido dos Mares Guia.


Instituto ficará responsável pela criação de um memorial sobre o período em que Lula foi presidente e a elaboração de políticas para a África e a América LatinaO tesoureiro da campanha da petista Dilma Rousseff, o ex-prefeito de Diadema José de Filippi Júnior, será um dos responsáveis pela arrecadação de recursos para a criação do memorial e para dar suporte aos projetos do instituto. A sede da entidade também deverá sair do Ipiranga, zona sul da capital paulista, e passar a ocupar outro endereço.

Entre os convidados para a reunião estão os ex-ministros Luiz Dulci (Secretaria-Geral da Presidência), Paulo Vannuchi (Direitos Humanos), Márcio Thomaz Bastos (Justiça), Miguel Jorge (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), Franklin Martins (Secretaria de Comunicação), Rui Falcão (presidente do PT) e os deputados federais Arlindo Chinaglia e Devanir Ribeiro, ambos do PT.

Miguel Jorge diz que essa é a primeira reunião e que o papel de cada um ainda não está definido. "Acredito que o instituto esteja funcionando até o fim do ano. Durante o governo, o Lula visitou praticamente todos os países da África, e temos uma dívida com o continente africano", disse.


quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Engenharia Elétrica em Paulo Afonso









Engenharia Elétrica e a Escolinha da Chesf

Um futuro Centro de Ciência, Pesquisa e Tecnologia em Paulo Afonso

Há dois meses atrás tivemos a excelente notícia da instalação do Curso de Engenharia Elétrica em Paulo Afonso. Fiquei particularmente regozijado, feliz, pois, encabecei no dia 02 de setembro 2009 na Uneb, junto com meu amigo Juracy Marques, então diretor do campus VIII, assim como outros atores locais: Prefeitura Municipal na Pessoa do Dro. Anilton, Elias Silva da Ascopa, Dorival da Direc-10, Irapoã Fernando do Crea, Maninho da Chesf, Rubens Almeida, estudante da Uneb, Rubenilson de Amorim do Ibametro, Selma da Secretaria Municipal de Educação do Município, Flávio Henrique da procuradoria Jurídica do Município, professor Galdino da Folha Sertaneja, professor Arleno José do IFE- Bahia, professora Dra. Cleonice Vergner da Uneb, professor Carlos Alberto Lima Botelho da Uneb e Maria Helena Nunes da Silva, a luta que resultou nesta excelente notícia de um curso deste porte em nossa cidade para 2012 com previsão de vestibular em 2011.

Naquela ocasião, entusiasmado, achei que a Uneb, campus VIII, tivesse interesse no Curso de Engenharia Elétrica. Por questões orçamentárias, ouve negativa. Solicitei ao professor Juracy Marques o encaminhamento para o IFE que acabara de se instalar em Paulo Afonso. Juracy, mandou tocar a idéia pra frente, fazendo um convite a todas as entidades acima citadas para uma reunião na data: 02 de setembro de 2009, disso, resultando essa conquista do coletivo, pois, Paulo Afonso, fica sempre a mercê das Políticas Públicas do Estado e da ação centralizadora da Chesf Recife, obrigando, por aqui, muitas vezes essa mirabolagens do cidadãos para a melhoria de nossa pacata cidade.

A Escolinha da Chesf em Paulo foi considerada na década de 60/70 e 90 como um dos melhores centros de excelência na área de formação de recursos humanos em elétrica da América Latina, local que formava e formou para a Empresa, técnicos do mais alto gabarito do Norte e Nordeste do nosso país.

Com vestibular já garantido para o exercício 2012, teríamos a oportunidade de sugerir ao Direto Arleno José, a ocupação das instalações da Escolina para às aulas que funcionarão no horário noturno, uma vez que os primeiros quatros semestres as aulas terem uma grade teórica.

Também, com a instalação do Curso de Engenharia Elétrica em nossa cidade, teremos a possibilidade da consolidação da pesquisa em estudos da utilização da energia em varias áreas, como: Eólica, Solar, Nuclear para fins da instalação de num futuro próximo, naquele local viabilização de um Instituto de Física em parceria com Eletrobrás/Chesf, Ministério de Ciência e Tecnologia, IFET-BA e Institutos de diversas Politécnicas do Norte/Nordeste, formando no Laboratório complexo Hidrelétrico Paulo Afonso, quadros de Mestres e Doutores para o nosso país.

Leitores, fui fiel em não esquecer ninguém que participou daquela reunião Histórica e quero aqui dedicar a vitória dessa conquista a pessoa do Deputado Estadual Paulo Rangel, Marileide Brasil, Maninho da APA, a Reitora Aurina do IFE/IFET-Bahia, Juracy Marques, Dorival Oliveira e o professor Arleno José e toda nossa cidade e aqueles que acreditam no sonho de uma cidade melhor a todo(a)s.


Professor Fernando: Licenciado e Bacharel em Filosofia, Licenciado em História, Licenciando em Sociologia, Teólogo, Psicanalista, pesquisador, escritor e professor.

Membro do IGHmsPA, Academia de Letras de Paulo Afonso, Sociedade Brasileira de Filosofia e Psicanálise, Adesg-Bahia e Associação Nacional de História. Ex- professor da Uneb campus VIII e Academia de Polícia Militar da Bahia.

Visite: cienciashumanasprofessorfernando.blogspot.com

sábado, 6 de agosto de 2011

O bondinho de volta




Trabalho de recuperação da encosta é a prioridade

Paulo Afonso na Bahia é conhecida no meu turístico brasileiro como sendo uma das cidades de maior potência para acolhimento da pratica do esporte radical. Distante 459 km da capital Salvador, ela está dotada de uma boa infra-estrutura hoteleira para receber os visitantes que vão ate lá desfrutar das belezas naturais do local.

As maiores atrações são as cachoeiras formadas no leito do Rio São Francisco e que de tão belas foram imortalizadas nos versos de Castros Alves, “A cachoeira! Paulo Afonso! O abismo! A briga colossal dos elementos! As garras do Centauro em paroxismo. Raspando os flancos dos parceis sangrentos. Relutantes na dor do cataclismo. Os braços do gigante suarentos. Agüentando a ranger (espanto! assombro!). O rio inteiro, que lhe cai do ombro”. Para deleite de toda uma região. E é sobre a cachoeira, entre os estados da Bahia e Alagoas, que existe a travessia feita através de um “Bondinho”. O teleférico foi colocado pela empresa Chesf para servir de transportes dos funcionários que trabalham na subestação alagoana. Com o tempo, ele foi disponibilizado para que os turistas pudessem fazer a travessia. É um dos momentos mais festejados por quem o utiliza.

O local onde se encontra toda a estrutura que dá sustentação a base do Bondinho, fica na beira da cachoeira, em uma encosta. Com o tempo houve um desmoronamento, mais precisamente no ano de 2008, de grande quantidade de rochas onde fica a estrutura física do teleférico. Segundo Francisco Araujo, assessoro da Gerência Regional da Chesf, isto aconteceu devido a infiltrações nas rochas onde ele foi construído, “normalmente são fissuras, mas com o passar do tempo e ação do vento e principalmente da das águas ocorreu este deslocamento, havendo o desprendimento de material rochoso”.

Os turistas então ficaram sem poder utilizar o passeio no bondinho. Foram inclusive proibidos de ter acesso ao mirante onde está toda a estrutura, causando então reclamação por parte de algumas pessoas. O que essas pessoas não sabiam era que a interdição temporária se devia a precaução dos técnicos para que nenhum acidente pudesse acontecer no local.

Recuperação da estrutura.

Durante esse tempo em que o local está sem acesso dos visitantes a gerencia regional tentou contratar um geólogo para que ele fizesse uma avaliação das condições das rochas. Mas os entraves burocráticos que devem ser seguidos travaram a agilidade na ação. Teria que haver, para cada etapa, uma licitação especifica para contratação dos profissionais. E enquanto isso não acontecia, houve a impermeabilização da área e o esvaziamento do espelho de água existente no topo do mirante. E foi em 14 de setembro de 2009, que a Empresa de Geociências Ricardo Brandão entregou o relatório técnico para “instalação de tirantes do maciço rochoso remanescente que suporta as estruturas do teleférico de Paulo Afonso, na margem direita, após o deslocamento de blocos de rocha do talude ocorrido em abril de 2009, e avaliação da necessidade de reparo”.

Tentativas de contratação foram feitas para a execução dos serviços, mas a primeira licitação foi dada como “deserta” já que nenhuma empresa apareceu para concorrer ao serviço de manutenção. As que vieram antes ver como seria o serviço, o acharam muito complexo e não se sentiram capacitadas para executar o mesmo.

Na nova licitação a vencedora foi a Ampla Construtora Ltda, de Salvador/Ba que está fazendo o serviço de colocação de tirantes no valor de R$ 400.000,00 (quatrocentos mil). E só após todo o serviço ficar pronto é que a Companhia Hidrelétrica do São Francisco vai novamente disponibilizar a população a visitação da área e passeios no Bondinho.

As visitações.

Novos equipamentos de última geração foram adquiridos pela empresa para que os funcionários que trabalham no local possam ter maior agilidade e conforto. Estes equipamentos já foram colocados e será construída uma sala climatizada, dando maior conforto e qualidade de vida ao trabalhador.

Os responsáveis pela manutenção do local pedem um pouco mais de paciência aos turistas e a população local, mas para eles a segurança deve ser a prioridade. Ninguém quer que aconteça um acidente no local, para só depois disso, reconhecer que a interdição era o melhor caminho.

A volta dos passeios no Bondinho logo estará acontecendo com segurança para todos.