Google+ Badge

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012


PUBLICIDADE
DÓLAR
  • Hora21h40m
  • Compra1,7830
  • Venda1,7850
Enviado por Míriam Leitão - 
12.1.2012
 | 
16h05m
NA CBN

Haiti: política de imigração deve preservar nossas melhores qualidades

Com a entrada de tantos haitianos, o país tem que repensar sua política de imigração, mas do jeito brasileiro de lidar com a questão. Temos que lembrar que somos um país formado por ondas migratórias. Construímos um país com povos diferentes.
Por isso, não é para se pensar em levantar barreiras, estabelecer cotas de entrada. Ao mesmo tempo, não podemos deixar o processo ser comandado pelos coites, pelos piratas da imigração. O Brasil tem de evitar ser controlado por pessoas de má fé e, ao mesmo tempo, atender o desejo dos haitianos que querem vir para cá. Ou seja, o governo tem de estar no comando do processo. 
É preciso uma política com a nossa temperança, sem xenofobia, mas também não podemos deixar tudo de portas abertas para que um problema gigante não se forme.
Também não podemos fazer uma política que discrimina, como a já feita contra os brasileiros na Espanha, por exemplo. Temos que ser coerentes com nossa política a favor do trânsito das pessoas.
A riqueza do Brasil foi construída pelas pessoas que vieram de outros países. É essa mistura que nos faz fortes. Tivemos uma migração forçada, a escravidão. Nosso erro foi não ter ajudado os antigos escravos na construção de seus sonhos. Faltaram ações para apoiá-los.
Alguns empresários já estão procurando esses trabalhadores. É bom que o processo seja liderado por bons empresários, antes que apareçam os gatos que vão aprisionar esses trabalhadores nos elos do trabalho degradante.
Esses haitianos estão em busca de melhoria de vida, seu país está numa situação dramática. O Brasil está lá comandando a missão da ONU, como sabemos. Tudo isso deve ser considerado.
Não é uma situação simples: temos que protegê-los, fortalecendo as instituições e, ao mesmo tempo, ter um projeto. Quanto mais o Brasil crescer e der certo, atrairemos mais gente. Temos de ter uma política migratória que preserve nossas melhores qualidades.
Postado pelo professor Fernando