Google+ Badge

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Colunas

Professor Fernando

Professor Fernando

A antiga Câmara dos vereadores e a Academia de Letras

A Antropologia nos ensina que a maior preciosidade de uma civilização é o povo, a gente que a constitui. O povo é a maior referência de uma nação, de um estado, de um município. E o que caracteriza o povo de determinado lugar, diferenciando-o de outros, é sua identidade.  Essa identidade está presente na língua que esse povo fala, no seu sotaque, na sua cultura  no modo como esse povo vive, seus valores, suas crenças, seus mitos; nas suas múltiplas manifestações artísticas e folclóricas e no seu passado, que é a sua  História.
Uma academia de letras existe para isto: para cuidar e difundir o conjunto desse valioso patrimônio que constitui a identidade de um povo, fazendo-se sua guardiã. Como guardiã, sobretudo da língua, cabe-lhe cultivar e revelar o seu lado mais belo, que é a literatura: seja no que concerne à poesia e à prosa literária, nos diversos gêneros, seja no que concerne à narrativa histórica e a outras áreas do conhecimento humano.  Enfim, a importância de uma academia de letras em lugares que valorizam a Educação e a Cultura é inquestionável. Infelizmente isso não se aplica ao estado de Rondônia.
A academia de Letras de Paulo Afonso completou 10 anos de existência. Fundada por uma plêiade de intelectuais, vem, a duras penas, tentando consolidar sua importância numa cidade, há algum tempo, caracterizado pela descontinuidade das ações por parte das autoridades constituídas, fato certamente relacionado à diversidade da população  "alagoanos, baianos, pernambucanos e sergipanos. Entre essas pessoas há aquelas que respeitam ou aderem às nossas causas, contribuem para o engrandecimento de nossas instituições sem desmerecê-las.
A despeito da descrença, nossa Academia de Letras continua sua luta. Quando da mudança de governo, Caíres para Anilton, renovaram-se os ânimos: quem sabe desta vez não nos restituem o prédio da antiga Câmara Municipal de Paulo Afonso, na Avenida Getúlio Vargas ? Finalmente, depois de várias reuniões, comitivas de acadêmicos às autoridades e uma sequência interminável de ofícios, para não esquecerem sua condição de sem- teto, a ALPA (Academia de Letras de Paulo Afonso), recebe a notícia do Prefeito Anilton Bastos que terá seu espaço garantido para funcionar, junto com o IGHMASPA (Instituto Geográfico-Histórico de Paulo Afonso), vitória de todos os paulafonsinos e paulafonsinas que militam na causa da cultura de nosso Município.
Deixo para reflexão dos leitores esta frase do célebre brasileiro Rui Barbosa: "Maior que a tristeza de não haver vencido é a tristeza de não ter lutado."