Google+ Badge

domingo, 25 de dezembro de 2011

Judeus no Brasil no Brasil Colônia


por Yacov Gerenstadt – No período de colonização do Brasil, grande parte dos colonizadores eram cristãos novos (judeus convertidos), que optaram por sair do seu país de origem, na esperança de fugir das garras da Santa Inquisição.
Estudos revelam que os cristãos novos, que se comunicavam em hebraico, nomearam vários estados brasileiros, entre eles: “Nele está D’us”, que em hebraico significa Bahia; “Obra de D’us”- Maceió; “Povo forte”- Goiás; “Acima de Goiás”- Alagoas; “Recifes”- Recife. Inclusive o nome do país, Brasil, que como todos sabem, tem origem do Pau Brasil, e é também conhecido como Pau Ferro, possivelmente tem origem judaica, já que a palavra ferro em hebraico é chamada de BaRZeL. Esses detalhes nos levam a afirmar, com grande margem de segurança, que o nome Pau Brasil ou Pau Ferro foi criado pelos cristãos novos.
De acordo com a Cabalá, o terceiro patriarca do povo judeu – Jacob, casou-se com quatro mulheres, e ao descrever o nome delas, na ordem inversa, ou seja, começando pela ordem da mais jovem a mais velha – Bilá, Rachel, Zilpa e Lea, obtemos o acróstico da palavra BaRZeL – ferro. Por isso, o ferro está ligado com energias negativas, expressando a falta de respeito da mulher mais jovem pela mais velha. Nossos sábios revelavam que o Templo Sagrado de Jerusalém não podia ser construído com ferro, e se um ferro fosse colocado sobre o altar do Templo, a pedra que teve contato com o ferro deveria ser removida e trocada por outra, pois o altar foi criado para alongar a vida das pessoas enquanto o ferro a encurta. Da mesma forma, a lei judaica nos diz que, ao fazermos a benção final após as refeições, devemos cobrir a faca que se encontra sobre a mesa.
Assim como o ferro, podemos afirmar que durante 500 anos, o Brasil teve forte ligação com energias negativas. Podemos citar como evidência, o fato do Brasil sempre ser classificado como país de terceiro mundo, além da dívida externa que não pára de crescer e o alto percentual da população abaixo da linha dapobreza. Mas é importante ressaltar que como a era messiânica está se aproximando, com isso podemos notar que algumas profecias estão se concretizando. Já dizia o profeta: “(…) e o espírito de impureza, Banirei sobre a face da terra”, e “(…) não levantará mais a espada, um povo sobre outro, e não conhecerão mais a guerra”. O ferro não encurtará mais as vidas das pessoas e, justamente com ele, será reconstruído o Terceiro Templo.
Portanto, assim como o ferro será purificado, o Brasil também passa por um processo de limpeza. Um exemplo claro dessa purificação é o fato do Brasil ser o primeiro país a sair de uma recente crise econômica, além de o terem elegido como sede das próximas olimpíadas e da próxima copa, em 2014. Com certeza isto é mais um sinal da breve revelação de Mashiach (Messias) que trará paz e harmonia ao mundo.
Sobre o Rabino e estudioso da Cabalá Yacov Gerenstadt
Em 1988, com apenas 18 anos de idade, Yacov Gerenstadt ingressou em uma jornada de conhecimento e estudo da Torá. Por dois anos, viveu no seminário rabínico (Yeshiva) da cidade cabalística de Safed, em Israel, em seguida, mudou-se para Nova York em busca da sua ordenação rabínica; conquistada no ano de 1994. Fascinado pelas peculiaridades e principalmente pelos ensinamentos da Cabala, Rabino Yacov decide retornar para Israel e aprimorar os seus conhecimentos sobre esta cultura milenar. De volta ao Brasil, foi responsável por quatro Sinagogas e recentemente, recebeu o convite do Rabino Yitschak Ginsburgh, fundador do Gal Einai, Instituto Internacional de Difusão de Cabala, para presidir a primeira unidade do Gal Einai no Brasil e disseminar os ensinamentos místicos da autêntica Cabalá, ao povo brasileiro.

Postado pelo professor Fernando