Google+ Badge

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Unina Nuclear em Paulo Afonso

Movimento para instalação de uma Usina Nuclear em Paulo Afonso – Urgente!!!!!!!!


Conforme matérias de jornais de circulação Nacional, o Brasil pretende instalar cerca de 30 usinas nucleares até 2060 – fala do Ministro das Minas e Energia, Edílson Lobão na matéria da Agencia Brasil no dia 02 /10 / 2009.
Em Alagoas, no dia 07/12/2009, no Jornal Extra, encontra-se a seguinte matéria: “Encontro em Alagoas debate energia nuclear”
Representantes da Eletronuclear participam do evento onde serão apresentado dados sobre a expansão energética
O Governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Energia e Logística (Sedec), reúne nesta segunda-feira (7) diversas entidades que representam a sociedade civil organizada de Alagoas para debater sobre o tema energia nuclear. É a realização do 2º Workshop Energia Nuclear no Nordeste, que acontece no Hotel Ritz Lagoa da Anta, às 8h30, reunindo especialistas, acadêmicos, pesquisadores, ambientalistas, jornalistas, gestores públicos e parte da diretoria da Eletrobrás.

A abertura do Workshop terá a presença dos presidentes da Eletrobrás, José Antônio Muniz Lopes, e da Eletronuclear, Othon Luiz Pinheiro da Silva, além da presença da alta-diretoria do setor energético nacional. O secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia (MME), Altino Ventura Filho, também apresentará um painel com dados sobre o projeto de expansão energética no país e a necessidade de usinas nucleares no Nordeste para o Sistema Interligado Nacional.

O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Energia e Logística, Luiz Otavio Gomes, lembra que após tomar conhecimento da construção de duas centrais nucleares no Nordeste, foi ao Rio de Janeiro para a primeira reunião com o presidente da Eletronuclear, Othon Luiz Pinheiro da Silva, e afirmou que Alagoas já estava na ‘briga’.

“Depois, fizemos um seminário aqui sobre energia, quando trouxemos o presidente da Eletronuclear. O trabalho do governador Teotonio Vilela junto ao presidente Lula e a ação permanente do Estado para a vinda dessa central nos coloca em posição de destaque”, evidencia Luiz Otavio Gomes.

O investimento para a construção de uma central nuclear, entre custos da engenharia, aquisição de componentes e construção, é estimado em torno de R$ 7 bilhões por cada usina de 1.000 MW.

Debate — Com o foco nos investimentos e benefícios com a instalação dessas usinas, o Governo do Estado realiza desde o ano passado encontros de esclarecimento e debates sobre a energia nuclear para discutir junto à sociedade a possibilidade de Alagoas ser o estado escolhido, já que a decisão final depende do Senado Federal e do presidente da República. Alagoas é o segundo estado que realiza o workshop para debater o tema, já que há quatro estados nordestinos na disputa: Alagoas, Pernambuco, Sergipe e Bahia.

O tema recebe total atenção no tratamento, pois fez parte da programação dos últimos eventos do segmento no Estado, como o 2º Seminário Estadual de Energia, que encerrou o evento com debate entre especialistas do assunto.

Além disso, Alagoas foi o único estado que até o momento organizou uma comitiva, liderada pelo governador Teotonio Vilela Filho, com a presença de representantes dos poderes públicos e de instituições da sociedade alagoana. A reitora da Universidade Federal de Alagoas, Ana Dayse Dórea, o presidente da Assembleia Legislativa de Alagoas, Fernando Toledo, o diretor-presidente do Instituto do Meio Ambiente (IMA), Adriano Augusto de Araújo Jorge, além de secretários de Estado de Alagoas, foram algumas das lideranças presentes à visita técnica, no final do mês de agosto.

Alguns dos objetivos da visita técnica às usinas nucleares de Angra dos Reis foram para que os líderes alagoanos conhecessem o funcionamento de uma usina nuclear e todos os procedimentos de segurança, além de saber a opinião da sociedade e das lideranças municipais da cidade-sede das usinas Angra 1 e Angra 2.
Portanto, Paulo Afonso, na Bahia, possui todos os requisitos (Complexo Hidroelétrico com as credenciais para instalação de uma central Nuclear em nossa cidade gerando mais renda, via roaltyes, uma vez que cada Usina construída custa cerca de R$ 7 bilhões de reais e agregam riquezas para nosso Município, onde se encontra pronta uma estrutura de subastações e linhas de transmissões e o Rio São Francisco, claro!!!
Obs. Toda Usina Nuclear, normalmente, é construída próximo ao mar e a rios.
Cabe a Prefeitura Municipal de Paulo Afonso, Câmara dos vereadores,Uneb,Adesg, OAB, Lojas Maçônicas, Igrejas, Sindicatos, Sociedade Civil, propor o e antecipar-se aos debates e os fatos para que nossa cidade não seja preterida (marginalizada) desse processo de investimento e escolha das futuras instalações das Usina Nucleares pelo Brasil afora..
Professor Fernando Coordena a Adesg (Associação da Escola Superior de Guerra), representação de Paulo Afonso-Ba;
Membro da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra;
Tem Estágio de Intensivo de Mobilização Nacional Pela Escola Superior de Guerra;